Experiência: O impacto das emoções


Masaru Emoto não é um cientista. É um autor e fotógrafo japonês, célebre pelas suas experiências com a água. Defende o autor que a água reage às informações a que é exposta, o que gera alterações a nível molecular.
Ele registou em fotografias microscópicas as suas experiências, nas quais expôs a água a diversos elementos (palavras escritas ou ditas, musicas, imagens), congelando-a de seguida, e fotografando então os cristais formados.  As imagens criadas no gelo são fenomenais, podem vê-las nos inúmeros vídeos disponíveis no You-tube.

Posteriormente, Emoto fez uma outra experiência, desta vez com arroz e água, que pela sua acessibilidade tem sido repetida por curiosos por este mundo fora. E eu, naturalmente curiosa, resolvi fazê-la também (ver para crer, como S. Tomé!).

A experiência pretende demonstrar o impacto que as nossas emoções e intenções têm na água, logo, o impacto que têm em nós mesmos, nos outros e em todos os seres vivos.


Consiste em colocar água e arroz em 3 copos transparentes e, todos os dias:
- Ao 1º dirigir frases e intenções positivas (amor e gratidão),
- Ao 2º ignorar,
- Ao 3º dirigir frases e intenções negativas (ódio, raiva, ressentimento).

A MINHA EXPERIÊNCIA:

Resolvi duplicar a parada (ou não fosse eu Gémeos!) e utilizei 6 copos:
- No 4º colei a palavra "Amor", e apenas lhe dizia todos os dias: Amor.
- No 5º colei a palavra "Ódio", e apenas lhe dizia todos os dias: Ódio.
- O 6º eu segurava durante alguns minutos junto a mim, em estado de tranquilidade e bem estar.

Durante 16 dias, os copos estiveram sempre juntos, no mesmo sítio, expostos à mesma temperatura, luz, etc.
Pessoalmente estou neste momento a atravessar um estado de goofiness natural (não ando bêbeda nem drogada, palavra!), e foi-me extremamente difícil aceder a estados emocionais de raiva, nojo ou ressentimento (mesmo invocando pessoas / situações que normalmente me colocariam nesses estados!), pelo que sinto que de alguma forma boicotei a experiência, já que além da dificuldade em dirigir emoções negativas, sempre que passava pelos copos não conseguia evitar sentir alegria e embevecimento pela experiência em si, ou seja, por todos os copos... A parte de ignorar um e só dirigir intenções negativas a dois deles não correu particularmente bem.

RESULTADOS:

Nos copos a que só dirigia intenções positivas foi desde cedo visível que o arroz estava a fermentar (uma diferença abismal foi desde logo notória no copo com a palavra "Amor"), mas naqueles a que supostamente teria de dirigir emoções negativas as alterações tardaram.
Os positivos absorveram mais água e estavam muito amarelinhos, os negativos mais esbranquiçados (meio acinzentados), mas o bolor não aparecia em nenhum deles. E assim estiveram até à noite passada.
O cheiro foi a diferença mais perceptível: os copos "positivos" emanavam um cheiro mais subtil e adocicado, os "negativos" começaram a cheirar bastante mal, sendo que terminei hoje a experiência porque do copo "ódio" exalava um cheiro nauseabundo.

Parece-me muito pertinente partilhar este dado convosco, já que interferiu brutalmente na minha experiência: O meu cão passou a semana toda insuportável (anda por aqui uma cadela com o cio, e o bicho chora noite e dia). Esta noite não me deixou dormir, e às tantas levantei-me absolutamente enraivecida e pronta a esganá-lo! Mas lembrei-me: eis a minha oportunidade! Em vez de esganar o meu menino, que afinal não tem culpa nenhuma de sentir o que sente, agradeci-lhe por me ter trazido a raiva que andava a querer sentir, e direccionei-a toda para o copo "ódio". E esta manhã, quando fui ver dos copos, fiquei estupefacta com a diferença!

SUGESTÃO:

Recomendo-vos vivamente que não se fiquem pela minha palavra. Testem! É uma experiência muito fácil de fazer, e com resultados extraordinariamente visíveis. Se tiverem filhos, façam-na com eles!
Esta maravilhosa experiência é uma possibilidade de consciencialização, de "ver com os próprios olhos" como, de facto, não só as nossas acções mas as nossas intenções, palavras e pensamentos são poderosos, e têm impacto em nós mesmos, nas outras pessoas, e em todos os seres vivos.
Mais, acreditando eu que tudo no Universo é composto de energia, e que a experiência se prende com troca de energias, ela não estará limitada à água ou aos seres vivos. Que impacto terão as minhas emoções nos ambientes em que vivo, na minha casa, no meu carro, na minha alimentação... Em que medida influencio, com os meus pensamentos e sentimentos, aquilo que me rodeia, e em que medida sou de facto eu responsável por tudo o que recebo de volta?
Se eu produzo determinado impacto em tudo o que me rodeia, a nível molecular... bom, tirem as vossas conclusões. Relacionem, por exemplo, as doenças físicas com os estados emocionais, ponderem o que andamos nós a oferecer a nós mesmos e aos outros, cada vez que sentimos rancor, ressentimento, inveja, raiva, desprezo...
É tempo de despertarmos...

Deixo-vos as fotografias que falam por si.


Dia 1 - 27/02/2014
Dia 16 - 15/03/2014





1 - Intenções positivas

2 - Ignorado

3 - Intenções negativas

4 - "Amor"

5 - "Ódio"

6 - Tocado (em estado emocional de tranquilidade)




Sem comentários:

Enviar um comentário

O que te apetece dizer?